HPE OneSphere
Navigation
Topo

Startup cria telescópio portátil com alcance surpreendente

Fenômenos naturais como um eclipse lunar costumam atrair a atenção das pessoas ao céu. Contudo, para além do que pode ser visto a olho nu, o universo apresenta um espetáculo único todas as noites. Assim, mesmo antes da existência de tantos recursos tecnológicos, a astronomia já conquistava seus adeptos. Muitos deles, inclusive, amadores. Especialmente a partir dos anos 1980, o tema tornou-se ainda mais popular. Tudo em razão de produções cinematográficas como E.T. e acontecimentos históricos como a passagem do Cometa Halley (1986). Agora, com a evolução da tecnologia, ampliaram-se as ferramentas disponíveis para alimentar a paixão por observar os astros. Além de mais acessíveis, aparelhos como o telescópio, por exemplo, estão cada vez menores e mais poderosos.

É o caso do eVscope, que foi lançado pela Unistellar por meio de campanha de financiamento coletivo. Conforme a fabricante, o gadget surgiu com a proposta de ser o melhor telescópio para observação voltado à astrônomos amadores. Compacto, ele já provou ser até 100 vezes mais poderoso do que um telescópio tradicional. Além disso, em parceria com o SETI Institute, permite que seus usuários colaborem globalmente em campanhas de observação. O objetivo, segundo a Unistellar, é extrair e favorecer o compartilhamento de informações valiosas entre leigos e especialistas. Entre elas estariam a órbita, o tamanho aproximado e o período de rotação de asteroides, por exemplo.

 

 

COMO FUNCIONA O TELESCÓPIO COMPACTO

De acordo com a Unistellar, o segredo do eVscope reside no sistema patenteado Enhanced Vision. A partir dele, o telescópio utiliza um sensor de luminosidade e algoritmos para processar a visualização. Amplificada e projetada com contraste extremamente alto, a imagem exibida cria uma experiência genuína de observação do céu. As configurações do sensor e os parâmetros de processamento de imagem são ajustados automaticamente. Outro diferencial do eVscope é o software de detecção de campo autônomo, capaz de identificar cada objeto estelar ou galáxia. O recurso disponibiliza um banco de dados com coordenadas de 20 milhões de estrelas. Com isso, o telescópio pode facilmente encontrar e focalizar diferentes elementos no céu de forma autônoma e precisa.

Em breve, os usuários poderão também compartilhar informações contextuais sobre os objetos em seus smartphones. Conforme a Unistellar, um app está sendo desenvolvido para que o controle do telescópio ocorra por bluetooth ou wi-fi. O aplicativo deverá permitir que os usuários salvem fotos, gravem vídeos e adicionem informações ao material registrado. Segundo a fabricante, os primeiros protótipos industriais do telescópio já estão em produção. Já a produção em massa e as primeiras entregas do eVscope estão previstas para o segundo semestre de 2019. Daí até 2061, pode ser um bom período para aprimorar seu uso e acompanhar a próxima passagem do Cometa Halley…

 

 

Imagens: Unistellar/Divulgação
Categorias Lifestyle