HPE Simplivity
Navigation
Topo

Para inovar, “pense simples” como o CEO da Samba Tech

Inovar pode ser mais simples do que parece. É o que garante o CEO da Samba Tech, Gustavo Caetano, em seu livro “Pense Simples”. Ao longo das 184 páginas da obra, o autor compartilha diversas passagens de sua história e experiências de vida. Desde a fábrica de cortiça do avô até a fundação de sua própria empresa, hoje reconhecida globalmente. Segundo Caetano, trata-se de uma inspiração para quem está começando ou já possui um negócio e quer transformá-lo.

Livro de Gustavo Caetano dá dicas para quem quer inovarPense Simples é um incentivo para quem busca empreender e inovar. Especialmente por destacar que o empreendimento de sucesso de hoje pode ser o negócio de fracasso do dia seguinte. Para contextualizar, Caetano usa o exemplo do próprio avô, que fundou uma fábrica de cortiça. Um negócio sólido e de sucesso – pelo menos até o surgimento de uma nova tecnologia: o isopor. O avô não acreditou que aquele material frágil poderia substituir a cortiça e, assim, sua empresa quebrou.

Na época, as novas tecnologias demoravam anos para quebrar empresas. Mas, atualmente, bastam alguns meses para que uma disrupção mude o jogo de todo um setor. Nesta velocidade, Caetano destaca que um empreendedor exposto a problemas operacionais tem dificuldades para identificar ameaças. Por isso, ele julga ser imprescindível manter uma mentalidade aberta. Disposta a questionar padrões; a adaptar-se às mudanças e até destruir seu próprio negócio antes que um concorrente o faça. Foi o que o próprio Gustavo fez com sua primeira empresa, focada em jogos para celular. Pioneiro no Brasil e na América do Sul, mudou completamente seu negócio de sucesso. A trajetória num novo mercado é contada no livro, assim como algumas de suas dicas para inovar e empreender.

 

LIGUE O RADAR

Em Pense Simples, Gustavo Caetano recomenda “ligar o radar” e começar a busca por oportunidades. É possível transformar algo do seu dia a dia ou do seu trabalho? Como você resolveria determinado problema com soluções mais rápidas, mais seguras ou mais baratas? Que tal mudar aquilo que “sempre foi feito assim”? Foi justamente isso que motivou Caetano a juntar os pontos para criar a Samba Tech.

 

A METÁFORA DE DAVI E GOLIAS

Para contextualizar o mercado atual, Caetano utiliza a metáfora de Davi de Golias. Segundo ele, muitas vezes não é o maior que vence numa batalha. Neste mundo de inovação, há cada vez mais davis (pequenas startups) enfrentando grandes golias de mercados tradicionais. Isso porque as startups são mais rápidas, velozes e dinâmicas. Já as grandes empresas costumam lidar com excessiva burocracia, tornando-se mais lentas em adaptações. Por isso, qualquer pessoa que consegue criar algo novo pode se tornar uma ameaça a grandes corporações.

Em seu livro, Gustavo Caetano pontua que não faltam exemplos de como pequenos davis estão enfrentando grandes golias. Skype, Waze, Airbnb, Nubank, Netflix… Todos esses players surgiram pequenos e passaram a valer bilhões de dólares.

 

FOCO EM CARACTERÍSTICAS NECESSÁRIAS PARA INOVAR

Entre as características comuns identificadas em grandes líderes empreendedores está a capacidade de delegar e aceitar críticas. Em Pense Simples, Caetano destaca a importância de pedir ajuda para ir além. Mais do que o dinheiro, o autor considera que o tempo de um empreendedor é o seu maior ativo. Assim, um gestor focado no que realmente importa aumenta a produtividade e impacta até mesmo na receita de qualquer negócio.

O CEO da Samba Tech também elenca a humildade como uma das características principais da inovação. Afinal, negócios são construídos por grupos de pessoas, e aprender a delegar é indispensável neste contexto. Sozinho, prega Caetano, ninguém constrói nada grandioso. Por isso, é preciso ter um time completamente qualificado, com diferentes habilidades e experiências. Ou seja, um grupo que atue como uma espécie de conselho.

 

ACREDITE NO TERRENO; NÃO NO MAPA

Quando um mapa é criado, ele oferece informações voltadas a quem o criou. No entanto, os terrenos são muito mais complexos. Estes envolvem uma infinidade de dados que não pode ser demonstrada num único mapa. Então, quando há contradição de informações, recomenda-se acreditar no terreno e desconsiderar o mapa. Caetano usa esse exemplo para falar sobre os planos de negócio. Para ele, um plano de negócio é um “mapa” que mostra o que não aconteceu ou não irá acontecer. Afinal, no papel as planilhas dão lucro sempre. Já no terreno, ou seja, no mundo real, os custos começam a surgir. Leis se modificam, a inadimplência causa impacto, o Facebook muda suas regras. Assim, quando os sinais começam a aparecer, prefira o terreno ao mapa.

 

MAIS FOCO NA EXECUÇÃO (E MENOS NO PLANEJAMENTO)

Ao começar um negócio, é preciso ter ousadia e proatividade. Por isso, Caetano sugere vender primeiro e desenvolver a ideia depois. Isto é: mesmo que não se tenha o produto pronto, é possível vender um sonho. Não sem antes, claro, entender se há mercado – se existe um problema que necessite daquela solução. É assim que ocorre com as pequenas organizações. Elas validam diversas ideias até encontrar o que os clientes realmente desejam. Aquilo que resolve a vida das pessoas – não no mapa, mas no terreno. Testando seu produto até que ele se encaixe ao mercado. Conforme Caetano, não é necessário ser um gigante ou investir muito dinheiro antes de começar a inovar. A dica é ser ágil, leve e pensar simples.

 

A ESTRATÉGIA DOS PINOS DE BOLICHE

Para quem já comanda uma empresa ou atua numa grande organização, a dica é reservar um momento para rastrear problemas. Organizar equipes multidisciplinares que possam identificar e criar soluções para eles. Afinal, inovar é algo que funciona a partir da dedicação de toda a equipe. Desse processo também podem surgir novos produtos e até novas empresas de sucesso. Para tanto, a estratégia é basicamente focar em um pino por vez. Um problema por vez, um mercado ou uma categoria por vez. Depois de derrubar o primeiro pino, siga para o próximo. Assim será possível dominar novos mercados de maneira eficiente.

Leia também: Cinco perguntas para Gustavo Caetano, CEO da Samba Tech

 

Capa do livro: Editora Gente/Divulgação
Categorias Business Upgrade