HPE OneSphere
Navigation
Topo

Luz azul inibe produção de hormônio que induz ao sono

Ao longo do dia, o metabolismo do corpo é regulado por diversos hormônios. Entre eles está a melatonina, cuja função principal é induzir a pessoa ao sono. Gerada naturalmente pelo organismo, seu fluxo é iniciado à noite. Geralmente duas horas antes do momento em que se costuma ir dormir. Essa produção está diretamente relacionada à baixa luminosidade da noite e do ambiente. Ou seja, quanto mais escuro o local, maior será a síntese da melatonina no organismo. De outro modo, ambientes iluminados, mesmo que por luzes artificiais, acabam retardando o sono. Apesar de esse fato não ser novidade, pesquisadores americanos descobriram que um tipo específico de luz é ainda mais prejudicial. Seus efeitos vão além da qualidade do sono e podem ser sentidos também no cabelo e na pele.

 

COMO A LUZ AZUL INTERFERE NO SONO

Pesquisas demonstram que a luz natural do anoitecer demoraria 438 horas para suprimir 50% da produção da melatonina. Enquanto isso, sozinha, a luz azul ou de LED apresenta o mesmo efeito em apenas 13 minutos. O resultado veio de um experimento realizado por pesquisadores americanos, que compararam os efeitos de 6,5 horas de exposição a luzes verde e azul. No teste, a luz de LED anulou duas vezes mais a produção de melatonina. A mesma medida foi verificada na alteração do ciclo circadiano. Trata-se do relógio interno do cérebro que regula os ciclos de alerta e sonolência. Assim, a descoberta enquadra a luz azul, comum nas telas de computadores, celulares e TVs, como inimiga do sono.

Esses dados chamam atenção para o uso que se faz da tecnologia e sua interferência no descanso do corpo. Em média, a exposição ao LED deixa você aproveitar apenas 10% do tempo que deveria estar em sono profundo. Essa etapa do descanso noturno é conhecida como REM (Rapid Eye Movement – movimento rápido dos olhos). É nesse período que acontecem os processos de regeneração do corpo, incluindo a pele e o cabelo. Também é neste momento que deveria ocorrer o relaxamento muscular máximo e baixa atividade do cérebro.

Por isso, atualmente muitos aplicativos e recursos nativos passaram a incluir um modo noturno em seus sistemas. Com eles é possível fazer com que a tela dos dispositivos fique com cores mais quentes. Numa das atualizações para o Windows 10, por exemplo, a Microsoft agregou essa funcionalidade. Para ativar a Luz Noturna, acesse Iniciar > Configurações > Sistema. No caso dos aparelhos Android, a dica é utilizar algum app que melhore o ajuste de cor da tela. Entre eles está o F.lux. Gratuito, ele “aquece” a tela dos dispositivos durante a noite para ajudar os usuários a relaxar antes de dormir.

 

Leia também:

Celulares e tablets influenciam padrões de sono das crianças

Saúde e tecnologia: radiação do celular pode causar doenças?

 

Foto: iStock/finwal
Categorias Drops