HPE OneSphere
Navigation
Topo

Lojas de aplicativos vão faturar mais que cinemas em 2018

Com 175 bilhões de downloads e US$ 86 bilhões em gastos de consumo, 2017 foi um ano monumental para aplicativos. Os dados são da App Annie, uma das mais influentes companhias de análise desse mercado. Além das informações sobre o ano passado, a empresa divulgou as principais previsões econômicas do setor para 2018. A expectativa da App Annie é de que o consumo mundial de apps aumente cerca de 30% ao ano. Ou seja, deverá exceder os US$ 110 bilhões já em 2018.  Neste período, conforme outras análises de mercado, a soma deve superar a receita das bilheterias de cinema do mundo inteiro. 

Segundo a App Annie, os games continuarão representando a maioria dos investimentos globais em aplicativos. No entanto, outros setores devem aumentar suas receitas, já que suas taxas de crescimento têm superado a dos jogos. A companhia também destaca China, Índia e Brasil como principais mercados em ascensão. 

Desde seu surgimento, os apps impactaram a sociedade numa escala surpreendente. E, ao longo de quase uma década, a economia dos aplicativos amadureceu de várias maneiras. Em 2018, duas das principais lojas de aplicativos móveis do mercado completam seu aniversário de dez anos. Juntas, ainda em outubro de 2017, elas reuniam mais de 5,5 milhões de aplicativos. Vale lembrar que novas aplicações seguem sendo disponibilizadas constantemente. 

 

COMO EXPLICAR O SUCESSO DOS APLICATIVOS 

Desde que surgiram, os aplicativos móveis passaram a desempenhar papel fundamental na economia. Incluem-se aí setores como varejo, bancário, de viagem e entretenimento, por exemplo. No entanto, esse sucesso pode ser ainda mais evidente quando observada a transformação gerada na vida cotidiana das pessoas. São ferramentas sociais, de comunicação, de organização e produtividade, mapas e navegação, fitness, compras, conveniências… Assim, a evolução contínua dos mercados em todo o mundo levou a monetização de aplicativos a crescer incessantemente. Até mesmo os apps gratuitos, em muitos casos, obtêm receitas por meio de publicidade, funcionalidades extras e taxas de serviço.  

O aumento do uso dos aplicativos, segundo a App Annie, também está relacionado aos aprimoramentos tecnológicos que ganham força em 2018. Especialmente daqueles que ajudam os usuários a ocupar seu momento de lazer – e as razões são simples. Eles costumam ser “descobertos” justamente quando os usuários estão em seu tempo livre, navegando casualmente nas lojas de apps. Já os apps baseados em “conveniências”, como entrega de alimentos e pagamentos online, são baixados quando há uma necessidade específica.  

Entre as grandes expectativas para além do entretenimento está a aplicação e expansão da Realidade Aumentada. Sem esquecer de outro destaque extraordinário de 2017: os serviços de streaming. A popularidade da tecnologia tem alavancado a instalação de diversos aplicativos. Esse cenário também ajuda a dimensionar a – crescente! – parte da vida das pessoas que está agora preenchida pelos dispositivos mobile. 

 

Ilustração: iStock/TarikVision 
Categorias Drops