HPE Simplivity
Navigation
Topo

Nervos à flor da pele? Veja sete prescrições contra o estresse

Nos últimos tempos, a rotina do profissional brasileiro, somada a todo contexto econômico do País, tem gerado situações de puro estresse. Excesso de tarefas, sobrecarga de informações, trânsito pesado, a falta de tempo para cuidar de si… e por aí vai. Acostumar-se a essas situações, no entanto, não é o melhor caminho a seguir – e quanto antes você passar a agir para combater o problema, melhor, pois assim será possível evitar que o estresse se transforme em algo muito mais grave: o esgotamento (ou burnout).

A primeira coisa a fazer é entender que o estresse não surge a partir de fatores externos, mas, sim, de sua própria forma de reagir a eles. Em vez de nutrir aqueles sentimentos de sofrimento e pressão, a prescrição dos especialistas é praticar o autocuidado. Existem pelo menos sete “pílulas” comprovados pela ciência para combater o estresse e aumentar sua qualidade de vida. Veja:

 

1.DIVIDA O SEU TEMPO DE SMARTPHONE EM SESSÕES

Em tempos de conectividade ilimitada, deixar o celular paradinho por mais de cinco minutos está virando um desafio. Contudo, afastar-se um pouco do aparelho é necessário para garantir seu bem-estar mental e até físico. Um estudo da Universidade de Worcester encontrou um vínculo direto entre o estresse e o hábito de checar compulsivamente alertas, atualizações e mensagens de texto no smartphone.

Se você está se sentindo esgotado com o trabalho, vale o exercício de desligar o celular após determinada hora da noite e, aos poucos, reduzir o tempo perdido com seu uso. Outra dica é estabelecer “sessões” – janelas de tempo – bem delimitadas para checar notificações, em vez de voltar sua atenção para o aparelho toda vez que o LED piscar. Essas distrações consomem enorme quantidade de tempo e reduzem sua produtividade. Menos atenção às notificações equivale a mais tempo para as tarefas, ou seja, menos acúmulo de trabalho.

2.MOVIMENTE-SE

Profissionais que apresentam extremo cansaço físico e mental podem achar que a dedicação a algo demandante de ainda mais gasto calórico seja contraintuitivo. No entanto, o esforço resultante de atividades físicas tem poder repousante. Estudos comprovam que os exercícios estimulam a produção de neurotransmissores como a endorfina, ligados à sensação de bem-estar, e reduzem outros hormônios, como adrenalina, associados ao estresse. Pesquisadores da Universidade de Nova Iorque apontam que ioga e natação contribuem consideravelmente para a redução dos sintomas de ansiedade, tensão e fadiga. Por sua vez, um artigo da Escola de Medicina de Harvard diz que o segredo para relaxar a mente é relaxar o corpo. Quando há bem-estar mental, o físico se tranquiliza, e vice-e-versa: um corpo em paz envia sinais de controle e segurança para o cérebro, que ficará ainda mais calmo.

3.ESCUTE MÚSICA

Como já dizia o filósofo Friedrich Nietzsche, “sem música, a vida seria um erro”. A afirmação é comprovada por Carla Tieppo, professora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, segundo quem a arte relaxa o cérebro e mexe com as emoções.  Assim, se você fizer escolhas estratégicas, pode usar esse poder para sentir o que quiser — inclusive o alívio das tensões do dia. A primeira dica é eleger um repertório adequado a seu gosto e estilo. Se quiser uma sugestão, um estudo aponta “Weightless”, da banda britânica Marcoli Union, como a canção “mais tranquilizadora do mundo”.

4.DEDIQUE 15 MINUTOS À FANTASIA

De acordo com Scott Kaufman, pesquisador da Universidade da Pensilvânia, quebrar a execução de uma tarefa em blocos e inserir pausas entre eles para dedicar à mais pura imaginação ou rememoração de momentos felizes do passado pode ser muito importante. Distrações e fantasias ampliam sua mente e estabelecem conexões criativas entre as ideias, fazendo brotar soluções surpreendentemente simples para os desafios do dia a dia.

5.PINTE OU DESENHE

O fenômeno dos livros de colorir prova que brincar com cores e papel pode ser extremamente relaxante. Pesquisadores da Brooklyn College concluíram que o desenho pode ser uma distração terapêutica, desde que absorva totalmente o foco e a reflexão do indivíduo. Isto é, você precisa se preocupar em representar cada detalhe do seu tema. O desenho e a pintura promovem uma chance de trégua para os estressados porque tiram o foco do que os aflige. A preocupação em caprichar num trabalho visual, não linguístico, ajudará a não pensar em qualquer motivo que esteja gerando tensão ou ansiedade.

6.RESPIRE FUNDO E FAÇA EXERCÍCIOS COM OS DEDÕES DOS PÉS

Quando estamos ansiosos, nossa respiração naturalmente se torna mais ofegante. Esforçar-se para fazer o oposto, isto é, inspirar e expirar lentamente, ajuda a aumentar a quantidade de oxigênio no cérebro. Essa atitude influencia o sistema nervoso, de forma a diminuir a frequência cardíaca e relaxar alguns músculos.

Tensionar e relaxar vários grupos musculares, como os dos dedões dos pés, também ajuda a livrar-se do estresse. A dica da clínica norte-americana Mayo é segurar a tensão por cinco segundos, para então soltá-la devagar. Depois dos dedões, repita o procedimento com braços, pernas e ombros, até sentir o corpo inteiro descansado.

7.EXPERIMENTE A MEDITAÇÃO

Uma infinidade de estudos evidenciam os benefícios físicos e mentais experimentados por praticantes da meditação, inclusive no combate ao estresse e à ansiedade. No entanto, não vale meramente tentar “acalmar a mente”. Em vez disso, conforme recomenda o site Business Insider, aprecie sua própria respiração como um enólogo saboreia uma taça de vinho. Enquanto durar a prática, busque relaxar os ombros e braços. Você pode optar por deixar os olhos fechados ou abertos. Não há um tempo determinado para a meditação, mas cinco ou dez minutos por dia já são um ótimo começo.

 

Foto: Anastasiia_New/iStock
Categorias Business Upgrade