HPE OneSphere
Navigation
Topo

Hiperconvergência: o novo salto evolutivo na arquitetura de TI

Conquistando a cada dia mais adeptos por conta de sua abordagem integrada, econômica e altamente escalável, a chamada hiperconvergência é a bola da vez quando se fala em evolução no segmento de TI. Depois do armazenamento em nuvem, que rapidamente se tornou padrão nos projetos de infraestrutura, é ponto pacífico que a próxima quebra de paradigma já está em curso por meio dos sistemas hiperconvergentes, capazes de integrar as estruturas físicas e virtuais, possibilitando que sejam controladas via software no data center.

Com a unificação de storage, software, rede e gerenciamento, a tarefa de administrar sua arquitetura de TI torna-se muito mais fácil, permitindo alcançar, enfim, o “nirvana tecnológico” que toda empresa sonha: um mix de robustez, agilidade, segurança, escalabilidade, gerenciamento simplificado e, é claro, redução de custos.

 

DA CONVERGÊNCIA À HIPERCONVERGÊNCIA

A infraestrutura dita “convergente” têm se destacado na preferência dos bons gestores de TI já há algum tempo, mas o salto para o modelo “hiper” significa aproveitar também, de forma plenamente integrada, as vantagens da virtualização e da tecnologia SDS (software-defined storage – ou armazenamento definido por software).

Para se ter uma ideia, os sistemas hiperconvergentes da Hewlett Packard Enterprise, líder em inovação nesse mercado, já vêm de fábrica com toda a estrutura necessária na implantação – desde servidores, armazenamento e software de virtualização até recursos de rede e gerenciamento. Tudo 100% integrado e embarcado num único dispositivo de alta disponibilidade. Concebido para a escalabilidade, cada sistema é entregue pré-configurado com todos os recursos num único chassi 2U, oferecendo gerenciamento simples e integrado para reduzir custos de capital e operacionais.

Em outras palavras, as soluções hiperconvergentes da HPE são como um data center virtualizado prontinho na caixa, oferecendo os benefícios da alta disponibilidade integrada, da disposição automatizada do armazenamento em camadas e de uma estratégia flexível de licenciamento de software, que se apoia em tecnologias já afirmadas da própria marca e de parceiros como VMware e Microsoft. Em minutos é possível criar a primeira máquina virtual com um dispositivo dessa natureza – fazendo da hiperconvergência a opção ideal para qualquer projeto em que a simplicidade seja um fator-chave.

 

SIMPLICIDADE, REDUÇÃO DE CUSTOS E FLEXIBILIDADE PARA CRESCER

Hiperconvergência: o novo salto evolutivo na arquitetura de TIComparados a soluções concorrentes, os sistemas hiperconvergentes da HPE oferecem uma série de diferenciais que justificam a preferência dos clientes. O primeiro benefício que se torna evidente é a simplicidade de operação, que inclui uma interface desenhada sob o ponto de vista da experiência do usuário e pronta para o mobile; implementação de máquinas virtuais em poucos cliques; arquitetura aberta que se integra facilmente aos dados existentes; atualização automática de firmware e drivers sem impactar as operações; e gerenciamento fácil, que pode ser realizado por profissionais generalistas de TI.

No quesito redução de despesas, o salto para a hiperconvergência já se destaca estruturalmente em relação à arquitetura tradicional de TI – tanto pela simplicidade, dispensando a contratação de múltiplos especialistas, quanto pelo alto nível de escalabilidade, que permite adicionar capacidade de computação e armazenamento em minutos. Em se tratando das soluções hiperconvergentes da HPE, porém, as vantagens econômicas se multiplicam já no momento da aquisição – que permite um custo inicial menor devido à exclusividade de se poder começar com apenas dois nós, enquanto sistemas concorrentes costumam exigir um mínimo de três. Há também um menor custo de proteção (que a HPE calcula como 62% menor numa situação de recuperação de desastre) e um menor custo de expansão, já que a empresa paga de acordo com o crescimento da estrutura, num modelo de licenciamento all-inclusive.

Ainda no campo da redução de custos, a HPE oferece opções de 2 a 16 nós, possibilitando menores despesas de capital (capex) e muito mais flexibilidade. Com suporte a mais VMs (máquinas virtuais) por nó, obtém-se também custos inferiores com hardware e software.

 

IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS DE HIPERCONVERGÊNCIA

Outros benefícios destacados pela HPE são a possibilidade de acessar capacidade em qualquer servidor x86 ou sistema HPE StoreVirtual; a exclusividade de contar com o servidor DL 380, o mais vendido do mundo; e a condição de gerir remotamente vários sites através de uma única instância VCenter; além da dispensa de um dispositivo de backup separado.

No Brasil, a HT Solutions é referência em canal HPE, contando com um time altamente certificado para desenhar e implementar soluções hiperconvergentes.

 

Fotos: 1. iStock/Jolygon | 2. Divulgação/HPE
Categorias Optimize