HPE Simplivity
Navigation
Topo

Blockchain: entenda o sistema que protege transações online

Um tabu para o setor bancário e um sucesso cada vez mais valorizado em transações financeiras pela internet. Assim pode ser definido o Bitcoin, a moeda virtual mais famosa do momento. A controvérsia dá-se porque as criptomoedas são livres de regulação, ou seja, não podem ser rastreadas. Assim, acabam associadas pelos críticos a ataques virtuais, crimes financeiros e outras possíveis atividades ilícitas. Nos bastidores das operações realizadas com moedas como o Bitcoin, porém, reside uma tecnologia que está revolucionando as transações digitais. Trata-se do Blockchain – que já vem sendo utilizado também em áreas de troca de informações e gestão de processos.

O Blockchain é uma tecnologia que age mais ou menos como um banco de dados. Ele registra informações em múltiplos blocos criptográficos atrelados uns aos outros de forma a prevenir adulterações. O próprio nome resume seu princípio de funcionamento – uma “corrente de blocos”. E, diferente de outros sistemas, o registro gerado pelo Blockchain é descentralizado. Ou seja, fica distribuído entre milhões de computadores pessoais e data warehouses. À parte da definição mais técnica, uma boa maneira de se entender o Blockchain é como um grande livro-razão.

 

COMO O BLOCKCHAIN PODE TRANSFORMAR OS NEGÓCIOS

Na prática, cada participante do Blockchain recebe em tempo real as informações nele registradas, mas não consegue alterar nenhum dado. Por consenso entre máquinas, a rede aprova ou recusa informações e, caso identifique tentativa de fraude, impede o registro. É assim que a tecnologia entrega confiança ao usuário. E é por conta disso que o Bitcoin tem sido tão valorizado. Polêmicas à parte, governos, bancos e corporações têm estudado, testado e adotado o Blockchain em diversos segmentos nos últimos anos. O próprio Fundo Monetário Internacional já recomendou que os bancos centrais desenvolvam moedas digitais próprias, usando Blockchain, e regulamentem seu uso. Países como Rússia, Estônia, Canadá e Suécia já estudam formatos para suas criptomoedas oficiais.

Especialmente no caso dos alimentos, a tecnologia pode ser utilizada também no controle e rastreamento da cadeia de produção. Afinal, a confiabilidade do sistema permitiria assegurar a procedência e a correta manipulação dos produtos. O mesmo se aplica a cadeias de valor e de logística. O Blockchain também poderia ser usado na criação de um documento único de identificação expedido via internet. Assim, todas as informações relevantes sobre um indivíduo, como dados médicos, financeiros e pessoais, poderiam ser integradas com segurança.

Na esteira da desburocratização, contratos inteligentes desenvolvidos com Blockchain poderiam se tornar “autoexecutáveis”. A prática, potencialmente, eliminaria intermediários em compras, vendas, ações, consultas, procedimentos e processos. Auditoria e compliance, aliás, são bons exemplos de áreas que podem se beneficiar da segurança oferecida pela nova tecnologia.

Para as empresas do século XXI, é fundamental entender o Blockchain, estudar casos de sucesso e identificar oportunidades de aplicação. Esse protocolo de segurança, afinal, já vem sendo apontado como uma nova era digital – a internet dos valores.

 

Ilustração: iStock/BeeBright
Categorias Business Upgrade