HPE OneSphere
Navigation
Topo

Aprenda a negociar qualquer coisa com qualquer pessoa

Uma competência fundamental na vida de todo indivíduo é saber negociar. E essa habilidade não é válida somente para quem atua em setores como comercial, financeiro ou administrativo. Ela também é importantíssima para outras áreas – e para a vida de modo geral. Se você observar seu comportamento diário, poderá perceber que a todo o momento está envolvido em algum tipo de negociação. Desde o horário dos filhos dormirem até um reajuste salarial. Assim, negociar é uma das principais competências do ser humano e, talvez, uma das tarefas mais difíceis de se aprimorar.  

Não saber entrar em acordos pode trazer prejuízos financeiros e emocionais para qualquer pessoa. Fazer concessões ruins pode prejudicar relacionamentos, trabalho e outros aspectos do cotidiano. E para quem deseja aprender algumas técnicas de negociação, o consultor em gestão de pessoas Eduardo Ferraz tem várias dicas. Em seu livro “Negocie qualquer coisa com qualquer pessoa” (Editora Gente, R$29,90) ele cita diferentes formas de negociar nas mais diversas situações. Desde as mais corriqueiras até as mais delicadas. 

 

COMO NEGOCIAR 

negociarComo falar sem ofender? Como não parecer arrogante? Como lidar com pessoas difíceis? Estes são alguns dos assuntos trazidos pelo autor. Tudo através de técnicas práticas para as esferas profissional e pessoal. Ao terminar o livro, o leitor terá um caminho sólido para conquistar pequenos e grandes acordos ao negociar qualquer coisa com qualquer pessoa. Dividida em três partes, a obra mostra a base para uma boa negociação, a importância da preparação e as formas de ação.  

 

Identifique seu perfil 

Eduardo Ferraz destaca cinco estilos principais de negociador. O competitivo, o cooperante, o impaciente, o perfeccionista e o sedutor. Cada um possui características específicas que precisam ser bem conhecidas. Para ajudar na identificação desses perfis, o livro apresenta alguns testes práticos que complementam o aprendizado.  

 

Conheça o seu oponente 

Estudar a outra parte envolvida na negociação é outra dica compartilhada por Ferraz. Afinal, conhecendo bem o seu “oponente”, você poderá propor soluções que sejam boas para ele – e talvez até melhores para você. 

 

Saiba sempre quais são os seus limites 

Muitas vezes, por falta de preparo, as pessoas entram em negociações sem saber até onde podem/devem ceder. Ou pior, sem saber o momento de se retirar. Isso porque, conforme Ferraz, negociar não significa ganhar sempre, mas chegar a bons acordos para ambas as partes. E, se você estiver consciente de cada etapa da negociação, certamente poderá obter melhores resultados. 

 

Fotos: 1. pixabay/rawpixel | 2. Divulgação/Editora Gente

Salvar

Categorias Business Upgrade